26 de Fevereiro de 2011

A Era das Consequências




“A era da procrastinação, das
meias medidas, dos expedientes
que acalmam e confundem, dos
adiamentos, está chegando ao fim.
Em seu lugar, estamos chegando a
um período de consequências.”

[Winston Churchill, citado por Al Gore em “O Ataque
à Razão”, Ed. Manole, SP, 2007, ver p. 189]



“They go on in strange paradox, decided only to be undecided, resolved to be irresolute, adamant for drift, solid for fluidity, all-powerful to be impotent…  Owing to past neglect, in the face of the plainest warnings, we have entered upon a period of danger.  The era of procrastination, of half measures, of soothing and baffling expedience of delays, is coming to its close.  In its place we are entering a period of consequences….  We cannot avoid this period, we are in it now…” 

- Winston Churchill, November 12, 1936

O Futuro da Alimentação - Justiça e Sustentabilidade para o Séc. XXI

Entrevista com a cientista, ecologista e autora Dr. Vandana Shiva sobre o futuro dos alimentos.


[1.ª Parte]

[2.ª Parte]

[3.ª Parte]

Visite:

25 de Fevereiro de 2011

Jake Shimabukuro toca "Bohemian Rhapsody"

Performance sensacional! Muito belo!



Website: Peace Love Ukelele

Alterações Climáticas, Subida do Preço dos Alimentos e os Conflitos Sociais

[Photograph by Bartholomew Cooke for Bloomberg Businessweek]

Ler:

Hungry for a Solution to Rising Food Prices

Even if the global agriculture crisis doesn't turn cataclysmic, it represents a massive test



February 24, 2011
The recent unrest in the Middle East, which has been attributed, in part, to high food prices, gives us a warning of the type of global unrest that might result in future years if the climate continues to warm as expected. A hotter climate means more severe droughts will occur. We can expect an increasing number of unprecedented heat waves and droughts like the 2010 Russian drought in coming decades. This will significantly increase the odds of a world food emergency far worse than the 2007 – 2008 global food crisis. When we also consider the world’s expanding population and the possibility that peak oil will make fertilizers and agriculture much more expensive, we have the potential for a perfect storm of events aligning in the near future, with droughts made significantly worse by climate change contributing to events that will cause disruption of the global economy, intense political turmoil, and war.
That’s meteorologist Dr. Jeff Masters from his WunderBlog.  For background on these issues, see CP’s food insecurity series.

0000000

24 de Fevereiro de 2011

A Teosofia da Tradição Chinesa


O “Wen-tzu”, de Lao-tzu,
Ensina Sobre a Vida Simples


Lao-tzu disse:

Para governar o corpo e alimentar a essência, durma e descanse moderadamente, coma e beba de modo adequado, harmonize as emoções, simplifique as actividades. Aqueles que são internamente atentos ao ser conseguem isso e são imunes às energias perversas.

Aqueles que decoram os seus exteriores se prejudicam internamente. Aqueles que alimentam seus sentimentos ferem seu espírito. Aqueles que mostram seu embelezamento escondem a sua realidade.

Aqueles que nunca esquecem nem  por um momento de ser espertos oprimem inevitavelmente a sua natureza essencial. Aqueles que nunca esquecem de manter as aparências, nem sequer em uma caminhada de cem passos,  sobrecarregam inevitavelmente seus corpos físicos.

Desse modo,  a beleza das penas do pássaro prejudica o esqueleto, a folhagem excessiva nos galhos prejudica a raiz da  árvore. Ninguém no mundo pode ser excelente nas duas coisas.

00000000

O curto texto acima é o capítulo 58 da obra clássica “Wen-tzu, a compreensão dos mistérios”.  O livro é uma compilação dos ensinamentos de Lao-Tzu, fundador do taoísmo, e foi  publicado no Brasil pela Ed. Teosófica. A versão do chinês para o inglês é de Thomas Cleary.

0000000000000000

Excerto do boletim “O Teosofista”, Agosto de 2008, do website www.filosofiaesoterica.com

A Vez dos Idealistas na Transição Planetária



The mainstream world of politics, commerce and media might suggest that any talk of values and ideals is meaningless when we have to live in the real world, but my response is that the world of politics and economics has been run by the realists for a long time, but what have they got to show for it? What have they achieved by being Realists?

In spite of all the progress in science and technology and in spite of unprecedented economic growth over the past 60 years, these Realists have failed to solve the fundamental problems of malnutrition, hunger and war. Under their watch, humanity continues to spend a vast amount of resources on either weapons of destruction or luxuries that bring natural devastation, whilst huge numbers of men, women and children suffer from deprivation and disease. Rising population, dwindling natural resources, and the threat of global climate change are all the result of resting power in the hands of the Realists, whose legacy includes entire countries in debt while their banks are bailed out by the taxpayers.

The Realists have been given ample chance to bring peace and happiness to humankind but they have utterly failed.

So in these circumstances let us give the Idealists a chance.

Humanity will be far better served by the intrinsic values of hospitality, humility and harmony than by the extrinsic values of success, speed and greedy self-interest.”


Satish Kumar,
Editor-in-Chief at Resurgence.

00000000000000



Viver Com Simplicidade

“Viver com simplicidade não é uma ideia nova. Na Grécia antiga, Platão e Aristóteles já falavam de uma vida sem excesso ou falta, mas com o suficiente para atender às necessidades, um meio-termo entre a riqueza e a pobreza.

Ler mais aqui.

ooooooooooooooo

Excerto retirado do website www.filosofiaesoterica.com

Bill McKibben, Fundador da Campanha Ambiental Internacional 350.org, Fala Sobre Alterações Climáticas, Justiça Social e Activismo





Entrevista completa aqui:


Bill McKibben: Growing Global Movements




Visite:

350.org

Join me at http://www.350.org

23 de Fevereiro de 2011

Noam Chomsky Fala Sobre a Criminosa Campanha de Desinformação Financiada Por Lobbies Petrolíferos





Noam Chomsky: How Climate
Change Became a 'Liberal Hoax'

February 9, 2011

In this sixth video in the series “Peak Oil and a Changing Climate” from The Nation and On The Earth Productions, linguist, philosopher and political activist Noam Chomsky talks about the Chamber of Commerce, the American Petroleum Institute and other business lobbies enthusiastically carrying out campaigns “to try and convince the population that global warming is a liberal hoax.” According to Chomsky, this massive public relations campaign has succeeded in leading a good portion of the population into doubting the human causes of global warming.

Known for his criticism of the media, Chomsky doesn't hold back in this clip, laying blame on mainstream media outlets such as the New York Times, which will run frontpage articles on what meteorologists think about global warming. “Meteorologists are pretty faces reading scripts telling you whether it’s going to rain tomorrow," Chomsky says. "What do they have to say any more than your barber?” All this is part of the media’s pursuit of “fabled objectivity.”

Of particular concern for Chomsky is the atmosphere of anger, fear and hostility that currently reigns in America. The public’s hatred of Democrats, Republicans, big business and banks and the public’s distrust of scientists all lead to general disregard for the findings of “pointy-headed elitists.” The 2010 elections could be interpreted as a “death knell for the species” because most of the new Republicans in Congress are global warming deniers. “If this was happening in some small country," Chomsky concludes, "it wouldn’t matter much. But when it’s happening in the richest, most powerful country in the world, it’s a danger to the survival of the species.”

Go here to learn more about "Peak Oil and a Changing Climate," and to see the other videos in the series.

—Kevin Gosztola

00000000000000000000

21 de Fevereiro de 2011

O PARTO DE UMA NOVA CIVILIZAÇÃO


0000000000000000

Trecho do livro "O Poder da Sabedoria"[1],
de Carlos Cardoso Aveline.

00000000000000000000000000000000



A placenta está rompida, o trabalho de parto começou há algum tempo, mas só agora a criança pode colocar a cabeça para fora e preparar-se para dar o seu primeiro grito.

Basta folhear os jornais ou assistir à televisão para perceber que a placenta das várias religiões dogmáticas e ideologias políticas não é mais capaz de manter a criança - a mente humana - dentro dos estreitos limites anteriores.

As almas medíocres se rendem ao imediatismo; muitos políticos esquecem seus ideais nobres no dia seguinte à chegada ao poder, e os crimes horrendos se espalham - ou, ao menos, ganham enorme publicidade em uma imprensa frequentemente incapaz de perceber sua missão e responsabilidade.

Apesar disto, é claro que nem o planeta nem a humanidade serão destruídos no plano físico, ao contrário do que esperam alguns poucos desinformados. Não é o mundo, mas uma visão do mundo que está acabando. Existem muito mais coisas entre o céu e a terra do que o pessimismo egoísta é capaz de perceber, e a evolução humana é observada e ajudada silenciosamente por seres que sabem bem mais do que nós. Por outro lado, o homem não cria problemas que não saiba resolver, e nós teremos de terminar o que começamos, fazendo uso da nossa própria inteligência para abrir caminho até um futuro saudável.

Haverá uma chave - um segredo - para a transição social que a humanidade vive hoje?

Alguém já disse que o século 21 é, na realidade, um novo estado de espírito. Numericamente, a chegada ao Terceiro Milénio é um dado de importância simbólica relativa. As questões cruciais são: como chegar ao estado de espírito que corresponde a ele? Quanto tempo levará esse processo de parto? E de quem depende isso?

Paracelso, o grande médico e sábio do século dezesseis, talvez tenha produzido uma chave-mestra para a conclusão feliz desse nascimento do século 21, cujo processo não é apenas cronológico. Para ele, grande conhecedor da alma humana, a imaginação é um poder muito útil - e muito perigoso também, quando se separa da sabedoria. [2]

Quase todas as emoções negativas estão associadas a uma imaginação doentia. É o caso do medo, da preocupação, da dúvida, da confusão e da falta de metas claras. Paracelso descrevia esses sentimentos como verdadeiros parasitas que atacam a alma humana e aos poucos retiram dela toda energia vital. E considerava que a fonte de saúde humana está em manter a imaginação voltada para o potencial divino em nós e nos outros seres. É daí que nascem emoções positivas como a confiança, a solidariedade, a tranquilidade, a certeza não-dogmática e a determinação de buscar objetivos nobres, cuja relação com a saúde e com o bem-estar físico é direta e imediata.

A humanidade é - de certo modo - como um indivíduo, e chegou o momento de eliminar os parasitas do medo e da dúvida, redefinindo nossas metas coletivas a partir do ponto de vista do nosso potencial evolutivo. Este momento, no entanto, não pertence exatamente ao tempo cronológico. Pode dar-se em um instante, ou surgir de modo lento e gradual, assim como um trabalho de parto pode demorar poucos minutos ou, dependendo das circunstâncias, arrastar-se por mais de 24 horas e terminar em uma operação cesariana. O desafio é saber como nascerá a civilização do futuro.

O que podemos ver, em nossa imaginação, se fixamos a primeira parte do século 21 como aquele momento arquetípico da história planetária em que um clarão iluminará a consciência humana e a fará despertar do pesadelo da ignorância? De que forma irá dar-se a expressão material e social da nova consciência? O ex-subsecretário-geral da ONU Robert Muller tem uma resposta clara para esta questão:

"Eu sonho que jovens e velhos, ricos e pobres, negros e brancos, povos do norte e do sul, do Oriente e do Ocidente, de todas as crenças e culturas, unem corações e mentes em uma celebração universal da vida no Terceiro Milénio".

Como estadista e educador, Robert Muller teve a oportunidade formular diversas propostas práticas para a construção de uma civilização global solidária. [3] Entre outros pontos, ele propõe a substituição do serviço militar obrigatório por um serviço mundial pela paz, coordenado pela ONU, no qual os jovens aprendam a defender a natureza e a combater a miséria e o atraso social enquanto conhecem povos e culturas diferentes. Ele defende a proposta de um programa global de educação para a paz em todas as dimensões da vida e reconhece que a humanidade inteira deve aprender a discutir o futuro com atitude construtiva.


Notas:

[1]
"O Poder da Sabedoria", Carlos Cardoso Aveline, Ed. Teosófica, Brasília, 1999, segunda edição, pp. 177-179.

[2]
 "Paracelsus, his mystical and medical philosophy", by Manly P. Hall, The Philosophical Research Society, Los Angeles, USA, 1964, 78 pp., ver pp. 19-20.

[3]
 "Nascimento de uma Civilização Global", Robert Muller, Editora Aquariana, 1993, 181 pp.

000000000000000000

O Despertar da Consciência Planetária

 Os fracos e os oprimidos são as primeiras vítimas, mas a sanha insaciável e incansável de explorar e saquear a terra logo despertará a consciência de outros que agora começam a entender os alarmes e os abafados gritos de socorro.”

Al Gore

Reproduzido do livro “A Terra em Balanço - ecologia e o espírito humano”, de Al Gore, pp. 312.

ÉTICA, CIVILIZAÇÃO E MOVIMENTO TEOSÓFICO


Corporações Multinacionais
Financiam Ecoceticismo


0000000000000

Texto publicado no boletim
“O Teosofista”, Fevereiro de 2011,

00000000000000000000


O atual declínio ético da civilização está ligado às limitações do movimento teosófico e interage com elas.  O movimento opera em níveis superiores de consciência, e na medida em que ele corrigir suas falhas,  o carma humano em seu conjunto melhorará. A recíproca é verdadeira.

Em grande parte, os erros que ocorreram na história do movimento depois de Helena Blavatsky são resultado de uma fragilidade no campo da ética e do altruísmo. No entanto, a sra. Blavastky ensinou que, na sua essência, a Teosofia é Ética Divina. Segundo a teosofia, os ciclos fisiológicos do planeta  estão ligados aos ciclos de declínio e reconstrução da ética em uma civilização. Este aspecto fundamental parece estar sendo ainda ignorado por grande parte dos teosofistas de hoje.

Observando o movimento teosófico internacional e suas ações em vários idiomas, vemos que uma grande parte dele vive numa certa letargia. Há um “quietismo espiritual” que ignora a responsabilidade dos teosofistas em relação ao futuro da humanidade. Poucos setores do movimento teosófico abordam, por exemplo, a questão da mudança de civilização e das alterações climáticas.

Estudantes de várias nacionalidades estão fazendo um esforço para transmitir a um público cada vez mais amplo a doutrina dos ciclos e das alterações geológicas que o planeta deve enfrentar de tempos em tempos.  Neste setor do movimento está incluída a loja luso-brasileira da Loja Unida de Teosofistas, atualmente o único grupo teosófico que aborda de modo claro e público o fato de que a decadência ética está na origem da desregulação climática e geológica. Não por acaso o número dos leitores dos websites da LUT luso-brasileira vem crescendo gradualmente em vários idiomas.

Mas há também teosofistas ecocéticos. Um deles é David Pratt, editor do website “Exploring Theosophy” e ligado à Sociedade Teosófica de Pasadena. No website de Pratt podemos ver grande quantidade de textos de teosofia. Ao mesmo tempo, ele publicou longos textos procurando negar as alterações climáticas. Pratt se esforça por convencer o leitor de que a civilização atual, com sua imensa poluição, não cria nenhum problema para o sistema fisiológico do planeta. Segundo  Pratt, a consciência ecológica é inimiga do progresso.

A explicação para esta atitude é simples. A grande maioria das fontes bibliográficas de Pratt (mais de 22 autores e 10 instituições) é financiada pela indústria petrolífera e mineira. Várias publicações já documentaram a manipulação dos dados e da informação feita pelos interesses de grande corporações multinacionais, cuja agenda de prioridades inclui promover pesquisas e estudos “ecocéticos” por parte de cientistas e intelectuais.  Naturalmente, Pratt prefere não abordar em seu website o fato de que corporações multinacionais estão na prática comprando as consciências de centenas de cientistas e intelectuais em todo o mundo - com suas “linhas de apoio a pesquisa”.

Em qualquer tempo e lugar, o movimento teosófico deve ser independente, ético e ativo. Ele deve contar com o apoio da população, e não dos setores econômicos cegos que promovem a destruição ambiental. Ele deve desmontar os esquemas ilusórios onde quer que eles se encontrem. Ele não deve esquecer que, segundo a teosofia, o materialismo produz ignorância, destruição e sofrimento, enquanto o despertar espiritual é inseparável da simplicidade voluntária e da valorização da vida natural.

000000000000000

Ler também:

Uma Sociedade Viciada no Risco - Os Outros Pagam o Preço

Uma excelente palestra de Naomi Klein que merece ser vista.


"Alguns dias antes desta palestra, a jornalista Naomi Klein estava em um barco no Golfo do México, avaliando os resultados catastróficos da produção arriscada de petróleo da BP. As nossas sociedades se tornaram viciadas em risco extremo na busca de novas energias, novos instrumentos financeiros e mais ... e frequentemente, somos nós que limpamos a bagunça depois. 

18 de Fevereiro de 2011

15 de Fevereiro de 2011

14 de Fevereiro de 2011

"Human Planet" - BBC



12 de Fevereiro de 2011

Documentário "Nós permaneceremos na Terra"

Trailer do documentário "Nous resterons sur terre"


Para ver o documentário completo:

One Love | Playing For Change | Song Around the World

9 de Fevereiro de 2011

Chimamanda Adichie: O perigo da história única

“As nossas vidas, as nossas culturas, são compostas por muitas histórias sobrepostas. A romancista Chimamanda Adichie conta a história de como descobriu a sua voz cultural – e adverte que se ouvirmos apenas uma história sobre outra pessoa ou país, arriscamos um desentendimento crítico.”

Uma lição absolutamente extraordinária. Vale a pena ouvir!


00000000000000000000


Clicar em "view subtitles" para ver legendagem em português.

About Chimamanda Ngozi Adichie

Inspired by Nigerian history and tragedies all but forgotten by recent generations of westerners, Chimamanda Ngozi Adichie’s novels and stories are jewels in the crown of diasporan literature. Full bio and more links


7 de Fevereiro de 2011

"ASHES AND SNOW" - O Homem e a Natureza

Verdadeiramente inspirador...!
Para ver e ouvir com atenção!







O Que É o Otimismo?

“Mas o que é, exatamente,  otimismo?  A pergunta merece ser examinada.

Otimismo é o hábito de harmonizar a mente com o Ótimo que há em nosso interior.  O Território do Ótimo está localizado em nossa alma imortal.  É ali que mora a bênção permanente;  e ela lança sobre nós os raios de sol da iluminação, cada vez que o merecemos. O pessimismo,  por outro lado, surge  de um estado de infantilidade espiritual e psicológica pelo qual a pessoa sintoniza com alguma forma de preguiça de enfrentar os obstáculos.  O pessimismo é uma desistência de avançar em direção à vitória e à sabedoria. É uma justificativa para o hábito de não fazer nada. É uma desculpa para a irresponsabilidade ética. Se não podemos dar grandes passos, podemos dar passos tão pequenos quanto nossas forças permitirem.  Mas sempre é possível avançar. Avançar, em teosofia,  é sinónimo de TENTAR.  Interiormente, toda tentativa séria é um avanço.”  

0000000000000000000

Do texto “O Otimismo Surge do Contacto Com a Lei”, publicado no boletim “O Teosofista”, Outubro de 2008, do website www.FilosofiaEsoterica.com

Educação "Moderna", Uma Relíquia da Era Industrial


5 de Fevereiro de 2011

Insanidade Geral e a Economia Criminosa!


O que Está em Causa

[Excerto de texto de Boaventura Sousa Santos,
publicado na revista “Visão”, Janeiro de 2011]


O nervosismo dos mercados é um conjunto de especuladores financeiros, dominados pela vertigem de ganhar rios de dinheiro com a bancarrota do nosso país

Portugal é um pequeno barco num mar agitado. Exigem-se bons timoneiros, mas se o mar for excessivamente agitado não há barco que resista, mesmo num país que séculos atrás andou à descoberta do mundo em cascas de noz. A diferença entre então e agora é que o Adamastor era um capricho da natureza, depois da borrasca era certa a bonança e só isso tornava "realista" o grito de confiança nacionalista, do "Aqui ao leme sou mais que eu..." Hoje, o Adamastor é um sistema financeiro global, controlado por um punhado de grandes investidores institucionais e instituições satélites (Banco Mundial, FMI, agências de notação) que têm o poder de distribuir as borrascas e as bonanças a seu bel-prazer, ou seja, borrascas para a grande maioria da população do mundo, bonanças para eles próprios. Só isso explica que os 500 indivíduos mais ricos do mundo tenham uma riqueza igual à da dos 40 países mais pobres do mundo, com uma população de 416 milhões de habitantes. Depois de décadas de "ajuda ao desenvolvimento" por parte do Banco Mundial e do FMI, um sexto da população mundial vive com menos de 77 cêntimos por dia.


0000000000000000000

Fonte: http://aeiou.visao.pt/o-que-esta-em-causa=f585825


0000000000000000000000000



“As vozes e os interesses dos mais pobres contam pouco na política norte-americana (...) os grandes ganhadores de todo o tipo de ‘inovações financeiras’ nas últimas três décadas não foram os pobres (nem as classes médias), mas indivíduos já muito bem pagos (...) O ajustamento à crise foi transferido para o resto da sociedade, particularmente para os que têm menos formação e menos remuneração, que agora perderam as suas casas, postos de trabalho e a esperança para os seus filhos. Estas pessoas não causaram a crise, mas estão a pagá-la.”

Simon Johnson, MIT, ex-economista-chefe do FMI

2 de Fevereiro de 2011

CRISE CLIMÁTICA E FISIOLOGIA PLANETÁRIA


Albert Einstein Escreveu Sobre a
Alteração Periódica dos Pólos Terrestres


Joaquim Soares


Albert Einstein

Olhadas do ponto de vista da teosofia, as periódicas alterações geológicas e civilizatórias  surgem de acordo com ciclos evolutivos de longa duração.  Podemos ler em “A Doutrina Secreta”:

“[O] nosso Globo está sujeito a sete mudanças periódicas e completas, que seguem pari passu com as raças.” [1]

Quem teve a oportunidade de assistir aos filmes “2012” e “O Dia Depois de Amanhã”, ambos do diretor Roland Emmerich, pode ficar com uma percepção do que são os momentos críticos que afetam uma raça-raiz. Apesar de “2012” não pretender ser um relato literal do que pode acontecer em nosso planeta num futuro próximo, este filme tem em si ainda assim um grande valor didático, e possui elementos suficientes para ser considerado, como escreveu Carlos Aveline, uma “aula de teosofia e ética planetária”. [2]

De qualquer forma, existe a possibilidade de a humanidade vir a assistir, até ao final do século, a alterações climáticas e geológicas de alguma envergadura. Como ensina a Filosofia Esotérica, os grandes ciclos dividem-se em ciclos menores e o que se aplica a uma raça-raiz aplica-se, numa escala menor e proporcional, a uma sub-raça e às suas sucessivas sub-divisões setenárias.

Isso é o que podemos ler em “A Doutrina Secreta”:

“As Sub-raças estão sujeitas ao mesmo processo de depuração, como também os ramos laterais ou raças de família.” [3]

Como tudo no Universo, estes processos cíclicos são regidos pela Lei do Carma e se relacionam, em alguns casos, com o fenômeno de mudança do eixo terrestre. De acordo com a Filosofia Esotérica, a inclinação do eixo terrestre muda ciclicamente e mantém uma relação direta com certas alterações geológicas.

Voltando às páginas de “A Doutrina Secreta”, encontramos esta afirmativa apresentada do seguinte modo:


“Pois a Doutrina Secreta ensina que, durante a presente Ronda, tem de haver sete pralayas [períodos de repouso] terrestres, ocasionados por desvios na posição do eixo da Terra. É uma lei que atua em épocas fixas, e de nenhum modo cegamente, como poderia pensar a Ciência; mas em estreita harmonia com a lei Cármica. Em Ocultismo esta Lei Inexorável é mencionada como ‘o grande AJUSTADOR.’” [4]

Um pouco mais adiante, somos advertidos para o fato de que o processo não é repentino mas, antes, que se pode estender por longos períodos de tempo:

“Tais seleções e mudanças não se verificam entre o nascer e o pôr do Sol, como se poderia imaginar, mas requerem vários milênios até que uma nova casa esteja pronta.” [5]

Helena Blavatsky informa-nos ainda que, desde o tempo da Primeira Raça-raiz, já aconteceram quatro alterações no eixo terrestre.

Fruto do trabalho de investigação que embasa o roteiro, um dos pontos abordados no recente filme “2012” é exatamente a possibilidade de uma perturbação na posição do eixo terrestre. Lentamente, esta questão começa a ser pressentida pela Ciência.

É interessante notar que alguns cientistas estavam já há algumas décadas atentos para esta hipótese. Um deles foi Albert Einstein, ele próprio um estudante de “A Doutrina Secreta”. [6]

Einstein chegou a escrever o prefácio para uma obra sobre a teoria de sucessivas alterações dos pólos ao longo da história da Terra. O livro é intitulado “The Earth's Shifting Crust” (mas na segunda edição tem o título “The Path of The Pole”).  Foi escrito pelo historiador Charles Hapgood [7].

Albert Einstein parece considerar razoável a hipótese de que deslocamentos da crosta terrestre acabem por provocar, devido à própria dinâmica de rotação da Terra, alterações no seu eixo de rotação. De acordo com a teoria de Hapgood, esses deslocamentos podem ter origem em grandes erupções vulcânicas, sismos, degelo massivo das calotas polares, etc.

Diz Einstein, no prefácio:

“Nas regiões polares, há deposição contínua de gelo, que não é distribuído simetricamente sobre os pólos.  A rotação da terra atua sobre essas massas depositadas assimetricamente, e produz um movimento centrífugo que é transmitido para a crosta rígida da terra. O constante processo  centrífugo produzido desta forma, quando se chega a um certo ponto, produz um movimento da crosta terrestre sobre o resto do corpo da terra, e isso vai deslocar as regiões polares para o equador.”

Einstein conclui o prefácio com a seguinte observação:

“Se a crosta terrestre é na realidade tão facilmente deslocada ao longo de seu substrato como essa teoria exige, então as massas rígidas perto da superfície da Terra devem ser distribuídas de tal forma que dão origem ao deslocamento da crosta por efeito centrífugo. Penso que pode ser viável verificar esta dedução, pelo menos aproximadamente. Esta dinâmica centrífuga pode em qualquer caso ser menor do que a produzida pelas massas de gelo depositadas.”[8]

Einstein considera a hipótese de Charles Hapgood “surpreendente, até mesmo fascinante”, e afirma que a “ideia merece a séria atenção de quem se preocupa com a teoria do desenvolvimento da terra”.

D
e acordo com as investigações de Hapgood, cada alteração ocorrida no eixo terrestre demorou cerca de 5.000 anos a completar-se, e foi seguida de períodos sem qualquer alteração, que se prolongavam por 20.000 a 30.000 anos [9].

É interessante registrar que estas cifras de tempo encontram-se bem próximas das apontadas na “Doutrina Secreta”, em especial com a relação que HPB estabelece entre o florescimento e a queda das civilizações e a duração do Ano Sideral, que é de 25.868 anos solares.

Tudo está interligado. Os ciclos da evolução humana correm ao lado dos processos cósmicos, solares e terrestres. Pouco a pouco, a humanidade irá percebendo isso mesmo.

É útil continuar a investigar o momento crítico atual, pois ele traz consigo sinais da chegada de um novo ciclo.


NOTAS:

[1] “The Secret Doctrine”, H. P. B., Theosophy Co., Los Angeles, Vol.II, p.329; Na edição de língua portuguesa em seis volumes: “A Doutrina Secreta”, H. P. Blavatsky, Pensamento, São Paulo, Vol.III, p.347.

[2] Consultar o texto “Filme ´2012` Questiona o Futuro”, que se encontra no website www.filosofiaesoterica.com , na seção “A Crise Ambiental e a Civilização do Futuro”.

[3] “The Secret Doctrine” e “A Doutrina Secreta”, obra citada, respectivamente Vol. II, p.330; e Vol. III, p.348.

[4]  “The Secret Doctrine” e “A Doutrina Secreta”,  obra citada.

[5]  “The Secret Doctrine” e “A Doutrina Secreta”, obra citada.

[6] Consultar o texto “A Teosofia de Albert Einstein” na seção “Ciência, Psicologia e Teosofia” do site www.filosofiaesoterica.com .





00000000000000

Uma versão do artigo acima foi publicada no boletim “O Teosofista” de dezembro de 2009.

0000000000000000000000


00000000000000000000000000000000

Para ter acesso a um estudo diário da filosofia  esotérica original, escreva a lutbr@terra.com.br e pergunte como é possível acompanhar o trabalho do e-grupo SerAtento.

00000000000000000000000000000000000000000000